Ir para o conteúdo

Prefeitura de Garça - SP e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
CIDADÃO
CIDADÃO
EMPRESA
EMPRESA
SERVIDOR
SERVIDOR
TRANSPARÊNCIA
TRANSPARÊNCIA
Prefeitura de Garça - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Atendimento whatsApp
Rede Social Canal de Notícias no WhatsApp
Rede Social Tiktok
Rede Social Youtube
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JUN
10
10 JUN 2024
DENGUE E CHIKUNGUNYA
SAÚDE
152 visualizações
Prefeitura divulga boletim com casos de Chikungunya
enviar para um amigo
receba notícias
A doença, que já estava em circulação em cidades da região nos meses anteriores, acaba de confirmar dois casos no município.
A Prefeitura de Garça, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, passará a divulgar boletins relativos aos casos de Chikungunya de 2024. Tal como os casos de dengue, os casos de Chikungunya tem sua verificação de forma anual, seguindo os protocolos do Ministério da Saúde. Desta forma, mesmo o primeiro casos suspeito acontecendo no mês de junho, a contagem dos boletins ocorrem de 1º de janeiro até 31 de dezembro de cada ano.

O primeiro caso confirmado para Chikungunya foi importado, pois o munícipe esteve em área de transmissão e acabou por contraí-la, regressando com a doença. O segundo caso positivado foi contraído no município. Todas as áreas onde houveram a comprovação ou casos suspeitos já foram nebulizadas e também efetuado arrastão para efetuar novos casos.

Informações sobre a dengue de 1° de janeiro a 8 de junho de 2024:
  • Positivos: 2
  • Negativos: 2
  • Suspeitos: 5

Características da doença:
As principais características clínicas da infecção por Chikungunya são edemas e dores articulares incapacitantes, também podendo ocorrer manifestações extra articulares. Porém, os sintomas são: febre; dores intensas nas articulações; edema nas articulações (geralmente as mesmas afetadas pela dor intensa); dor nas costas,; dores musculares; manchas vermelhas pelo corpo; prurido (coceira) na pele, que pode ser generalizada, ou localizada apenas nas palmas das mãos e plantas dos pés; dor de cabeça; dor atrás dos olhos; conjuntivite não-purulenta; náuseas e vômitos; dor de garganta; calafrios; diarreia e/ou dor abdominal (manifestações do trato gastrointestinal são mais presentes em crianças).
Como muitos dos sintomas são semelhantes à dengue, é extremamente importante comunicar o médico para que a solicitação de exame seja testado para a doença.
Tal qual a dengue, os casos graves de Chikungunya podem demandar internação hospitalar e evoluir para óbito.
O vírus Chikungunya também pode causar doença neuroinvasiva, que é caracterizada por agravos neurológicos, como: Encefalite, Mielite, Meningoencefalite, síndrome de Guillain-Barré, síndrome cerebelar, paresias, paralisias e neuropatias. Saiba mais sobre a doença e suas particularidades no link.

Quando realizar a coleta
A Secretaria de Saúde solicita a todos que tenham passado por consulta em uma unidade de saúde ou na Unidade de Pronto Atendimento - UPA, e exista a suspeita da doença, que faça a coleta de sangue (sorologia) dentro do prazo, que vai do 6º dia de início de sintomas até o 30º dia. Quando um exame não é realizado em tempo, numericamente ele passa a ser considerado positivo, além disso, o paciente não terá certeza se adquiriu a doença ou não.

Deixe o agente entrar 
Os agentes estão encontrando dificuldade para acessar os imóveis, uma vez que os moradores não querem autorizar a vistoria, mas essa visita tem o propósito de garantir que seu espaço está livre de possíveis criadouros. Pelo protocolo do Ministério da Saúde, quando há um caso positivo ou em investigação na área, os agentes passam nas residências fazendo o controle manual de criadouros, ou seja, visitando casa a casa e verificando possíveis criadouros que devem ser removidos, além da aplicação de larvicida em casos pontuais. 
Após essa primeira visita, é necessário que o agente retorne após sete dias corridos e refaça todo o trajeto. Segundo a Vigilância Sanitária, muitos munícipes não estão permitindo essa segunda visita para a verificação, pois não compreendem que o larvicida tem ação de apenas 7 dias.
Mais uma vez, solicita-se a compreensão de todos, pedindo para que deixem os agentes entrarem nas residências, pois o trabalho dele é essencial para a saúde de todos.
Fonte: SECOM - Secretaria de Comunicação e Eventos
Autor: Andreza Sega
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia