Ir para o conteúdo

Prefeitura de Garça - SP e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
CIDADÃO
CIDADÃO
EMPRESA
EMPRESA
SERVIDOR
SERVIDOR
TRANSPARÊNCIA
TRANSPARÊNCIA
Prefeitura de Garça - SP
Acompanhe-nos:
Rede Social Atendimento whatsApp
Rede Social Canal de Notícias no WhatsApp
Rede Social Tiktok
Rede Social Youtube
Rede Social Instagram
Rede Social Facebook
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
JAN
29
29 JAN 2024
ASSISTÊNCIA SOCIAL
DIREITOS HUMANOS
FUNDO SOCIAL
588 visualizações
Garça terá grupo de apoio às mulheres vítimas de violência
enviar para um amigo
receba notícias
A violência acontece de várias formas, mas o ciclo pode ser quebrado.
Na manhã da última sexta-feira, dia 26 de janeiro, a Primeira Dama e Presidente do Fundo Social, Cláudia Furlaneto dos Santos, a Secretária Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Ellen Sganzerla, e a Diretora do Departamento de Políticas Sociais Especiais, Ana Lúcia Elias Ambrozevicius, estiveram em reunião com a Delegada da Delegacia de Defesa da Mulher de Garça, Doutora Renata Yumi Ono e a Vereadora e Investigadora da DDM, Elaine Oliveira, para tratar sobre a implantação do grupo de apoio à mulheres vítimas de violência.
 
O grupo de apoio tem como finalidade de acolher as mulheres vítimas de violência, proporcionar um ambiente de apoio, confiança e respeito, para que através da sororidade, as mulheres possam se emponderar e, através da rede de apoio, consiga compreender que é possível romper o ciclo de violência e seguir em frente.
 
As mulheres que forem vítimas de violência, das mais variadas formas não apenas a física, podem procurar auxílio por meio dos aparelhos da Assistência Social, através da SEMADS, CRAS ou CREAS, e serão encaminhadas para o grupo de apoio. Além disso, as mulheres que sofrem qualquer tipo de violência podem entrar em contato através do 180 ou pessoalmente e relatar o ocorrido, através da abertura do boletim de ocorrência a mulher também será encaminhada para o grupo de acolhimento.
 
 
O que é violência?
A violência contra a mulher pode se manifestar de diversas formas, como agressões físicas, psicológicas, sexuais, patrimoniais ou morais. Muitas vezes, a vítima não reconhece ou não denuncia a situação por medo, vergonha ou dependência financeira e/ou emocional do agressor.
 
Alguns sinais de violência contra a mulher são:
- Marcas de lesões, hematomas, cortes ou queimaduras no corpo;
- Mudanças repentinas de comportamento, como isolamento, tristeza, ansiedade ou depressão;
- Baixa autoestima, culpa, insegurança ou falta de confiança;
- Dificuldade para se expressar, tomar decisões ou defender seus direitos;
- Controle excessivo do agressor sobre a vida da vítima, como horários, roupas, amizades ou dinheiro;
- Ameaças, xingamentos, humilhações ou chantagens por parte do agressor;
- Forçar relações sexuais.
 
Como pedir ajuda:
- Através de ligação telefônica no 180, a ligação é gratuita e serviço disponível 24 horas por dia, sete dias por semana. Denúncias também podem ser feitas de forma anônima neste telefone.
- Através dos aparelhos de Assistência Social: SEMADS, CRAS ou CREAS.
 
Se você está sofrendo ou conhece alguém que está sofrendo violência, não se cale. Uma ligação pode garantir a vida desta pessoa, mesmo sendo anônima.
 
 
Fonte: SECOM - Secretaria de Comunicação e Eventos
Autor: Andreza Sega
Seta
Versão do Sistema: 3.4.1 - 29/04/2024
Copyright Instar - 2006-2024. Todos os direitos reservados - Instar Tecnologia Instar Tecnologia